Marshall McLuhan, Quentin Fiore

Marshall McLuhan
1911, Edmonton, Canadá

Intelectual notório por suas teorias acerca da comunicação. Conhecido por vislumbrar os moldes da internet quase 30 anos antes de ela ser inventada. McLuhan foi um pioneiro no estudo das transformações sociais provocadas pela revolução tecnológica do computador e das telecomunicações.

Começou sua formação em engenharia, mas migrou para as artes, no que se tornou bacharel em 1933 pela University of Manitoba, onde também fez seu mestrado em literatura inglesa, passando depois para a University of Cambridge. Em 1942, se tornou doutor com a tese “O lugar de Thomas Nashe no aprendizado de seu tempo”.

Seus trabalhos concernem ao esforço do homem em desenvolver-se e adaptar o mundo às suas necessidades, o que envolve a criação de novas tecnologias. McLuhan se interessava principalmente nos efeitos dessas tecnologias sobre os aspectos sociais e psicológicos das pessoas.


Obras selecionadas:

Mechanical Bride (1951)
Os meios de comunicação como extensões do homem (understanding media) (1964)
O meio é a massagem (Ubu, 2018)

 

Quentin Fiore
1920, Bronx, Nova York

Designer gráfico autodidata, sua formação audiovisual se deu sobretudo nos cursos de desenho no Art Students League de Nova York, com George Grosz e depois com Hans Hoffmann. Posteriormente estudou na New Bauhaus em Chicago. Como designer, trabalhou para Christian Dior e Bonwit Teller nos anos 1940, e nos anos 1950 dedicou-se ao design corporativo de empresas como a Ford Foundation. Foi nos anos 1960 que seu trabalho como designer ganhou projeção. O meio é a massagem, com Marshall McLuhan, de 1967, teve grande repercussão, sendo traduzido em todo o mundo.
 
 
Design gráfico de obras selecionadas:

Impressions of Lenin, de Angelica Balabanoff (1964)
DO IT!: Scenarios of the Revolution
, de Jerry Rubin (1970)
I seem to be a verb, com Buckminster Fuller (1970)
The Making of Kubrick's 2001, de Jerome Agel (1970)

Não encontramos produtos correspondentes ao filtro.