Com uma escrita erudita e militante, inventiva e mordaz, Eduardo Viveiros de Castro define este Metafísicas canibais como a resenha de um livro imaginário que jamais será capaz de terminar: O Anti-Narciso. O objetivo dessa obra inexistente seria “mostrar que os estilos de pensamento praticados pelos povos que estudamos são a força motriz [da antropologia]”, operando um deslocamento na antropologia como aquele que O Anti-Édipo, de Deleuze e Guattari, realizou na filosofia.

 

Se O Anti-Narciso nunca será escrito, fica deste Metafísicas canibais não só uma crítica contundente ao narcisismo de nossa cultura ocidental – que enxerga todo saber “outro” como uma versão precária de si mesma –, como uma formulação atual sobre o perspectivismo – conceito que consagrou Viveiros de Castro no Brasil e no exterior. Aqui, a experiência do autor com populações indígenas brasileiras é a base para um pensamento em permanente descolonização, que busca a todo instante reconhecer a diferença, a autonomia e a relação de coprodução entre o antropólogo e os povos estudados. 

 

Publicado originalmente na França, Metafísicas canibais elementos para uma antropologia pós-estrutural reúne parte significativa da produção de Viveiros de Castro desde A inconstância da alma selvagem (2002). Nas palavras de Patrice Maniglier, "Metafísicas canibais é um dos livros de antropologia mais importantes para o pensamento em geral desde O pensamento selvagem. Um livro nascido clássico". 

 

Metafísicas canibais - elementos para uma antropologia pós-estrutural

SKU
9788592886066
Em Estoque

Calcule seu frete

    Coedição

    n-1 edições
Características

Idioma

 português

Tipo

 brochura

Formato

 13 × 20 cm

Páginas

 288

Peso

 300 g

ISBN

 978-85-92886-06-6
Compre em ebook

o que falam desta obra

o que você achou do livro?
escreva seu comentário
Você está avaliando:Metafísicas canibais - elementos para uma antropologia pós-estrutural
Qual a nota você dá para esse produto?
0/5